09 fevereiro 2007

Recordando eventos na nossa terra: baile de Carnaval no Atlético Clube de Moçâmedes em 1954


1ª foto: Os Reis de Carnaval eleitos num baile realizado no salão do Atlético Clube de Moçâmedes na década de 50. Foram eles Maria Júlia Maló de Abreu (Pitula) e ?
Ao microfone, o grande chefe de produção do Rádio Clube de Moçâmedes, Carlos Moutinho, e a seu lado sustentando o microfone, Oliveira (Maboque). À esq. Lalai Jardim e por detrás da «rainha do baile», Silvestre.

Um baile de Carnaval no salão do Atlético Clube de Moçâmedes, e para mais abrilhantada pelo conjunto musical «Os diabos do ritmo», que aqui vemos na 1ª foto, era sempre uma festa animadíssima que se prolongava até às tantas da madrugada, quando não até ao despontar do dia, acabando os mais jovens, por, muitas vezes, por sairem dalí, directamente para um banho na praia das Miragens.

Para além do Atlético, os bailes de Reveillon também se faziam salão do Clube Nautico, vulgo Casino, meso de fronte da Praia das Miragens. Nesse tempo, jovens e gente de mais idade, confraternizava e divertia-se sem problemas, como se pode verificar pela foto. As jovens raparigas apareciam sempre acompanhadas das mães ou de familares e amigas de mais idade , como era de bom tom, não fosse o diabo tecê-las...

Por esta altura, meados da década de 1950, dançava-se, ainda não, o rock-and-roll ou o twist, mas tangos, valsas, slows, boleros, músicas basileiras, marchas, etc.. Mas nos dias de Carnaval eram as marchinhas brasileiras, os baiões, rumbas e passodobles...

Nesta foto, tirada na passagem de ano 1954, podemos ver entre outros, da esq. para a dt, em primeiro plano, Rui Bauleth de Almeida e Octávia de Matos, ( filha de Octávio de Matos) Maria Nídia Almeida e Arménio Jardim (hoquista do Atlético Clube de Moçâmedes), Antunes Salvador (o mais antigo fotógrafo profissional de Moçâmedes) e Justina Salvador. Mais atrás, e também da esq. para a dt.: Monteiro, Cristão (Quitolas), e mais ao fundo, Artur Homem da Trindade (desenhador de projectos de construção civil (*). Referi aqui o nome de Antunes Salvador (no canto dt., de óculos), gostaria de registar, que este Sr., foi o mais antigo fotógrafo de Moçâmedes, e touxe consigo de Àfrica, um valioso espólio em fotos de Moçâmedes que têm vindo a ser publicadas em livro, não deixando deste modo, morrer memórias, que são afinal um património de todos nós, angolanos e portugueses. Foto gentilmente cedida por M. Carmo Matos.

(*) Artur Homem da Trindade deixou a sua marca na cidade de Moçâmedes através do grande número de casas e edificios publicos de grande qualidade estética que desenhou, entre os quais creio que o edifício dos CTT, o da Associação Comercial e grande número das mais belas vivendas que alindavam a cidade.
(*)vidé GENTE DO MEU TEMPO.: Caça ao elefante no Deserto do Namibe, Moçâmedes, Angola

Sem comentários:

Enviar um comentário