14 março 2007

Chegada a Moçâmedes (actual Namibe) do Cardeal Cerejeira: anos 50

 
 
Esta foto representa a chegada à cidade, em visita, do Cardeal Cerejeira, cujo séquito se prepara para entrar na Igreja Paroquial de Santo Adrião. Foto retirada do livro: «Era uma vez Angola». Ao fundo , o Palácio do Governador.

ANGOLA E A QUESTÃO RELIGIOSA
 
Em 1940 foram estabelecidos dois acordos com do Governo Português com a Santa Sé: a Concordata e o Acordo Missionário, aos quais o Governo Português acrescentou o Estatuto Missionário, documentos que condicionaram o funcionamento das missões, ao consagraram o nacionalismo missionário, como afirmaram alguns responsáveis do tempo. 
 
Referindo-se ao Acordo Missionário, o Cardeal Manuel Gonçalves Cerejeira, declarou em  10 de Dezembro de 1940: 
 
"Pelo Acordo Missionário continua no Ultramar a nossa vocação de dilatar a Fé e o Império". " A constituição da hierarquia nas nossas mais importantes Colónias é um acto simbólico da sua ocupação, para Cristo e para Portugal". 
 
A 25 de Maio do mesmo ano, Salazar acrescenta: 
 
"Não pode pôr-se, entre nós, o problema de qualquer incompatibilidade entre a política da Nação e a liberdade da evangelização; pelo contrário, uma faz parte da outra. O governo condiciona a evangelização à formação patriótica do clero". Monsenhor Alves da Cunha concluiu: "Com o Acordo Missionário a Santa Sé favorece os altos interesses nacionais de Portugal. A Organização Missionária Católica será essencialmente portuguesa".

Entre 1926 e 1940, a expansão da Igreja Católica foi visivelmente impulsionada com a fundação de 29 novas missões. De 1930 a 1960, mais de 20 Congregações missionárias enviaram pessoal para Angola: Beneditinos, Beneditinas, Doroteias, Irmãs do SS. Salvador, Irmãs de la Salette, Capuchinhos, Franciscanas Missionárias de Maria, Reparadoras, Teresianas, Redentoristas, Ordem Trapista, Irmãozinhos de Jesus, Irmãos Maristas, Irmãs do Amor de Deus, Dominicanas de Se. Catarina, Espiritanas, Missionárias Médicas de Maria, Dominicanas do Rosário, Irmãs da Misericórdia.

Em 28 anos (1940-1968), o número de Padres angolanos passou de 8 a 71. Durante a 2." Guerra Mundial (1939-1945), não foi possível a entrada de pessoal missionário estrangeiro; mas, finda a Guerra, muitas Congregações acorreram ao apelo e dedicaram-se ao apostolado missionário em Angola.
Em 1954, Ano Santo Mariano, a revista “O Apostolado” deu início à campanha para a fundação de uma Emissora Católica de Angola (E.C.A.). No dia 8 de Dezembro de 1954 (encerramento das comemorações marianas) realizou-se a primeira emissão da Rádio Ecclesia, Emissora Católica de Angola.

Na cidade de Luanda, em 15 anos (1960-1975), as paróquias passaram de 5 a 14. A expansão missionária prosseguia com novas dioceses e novos seminários diocesanos, com frequência muito animadora. A evangelização foi feita com mais profundidade e, em muitos lugares, era uma autêntica pré-evangelização.


Texto integral