06 março 2009

Henrique Ahrens Novais, o «campeonissimo» em Circuitos das Festas do Mar e nas pistas da Província




    


Henrique Ahrens Novais no pódio, após ter vencido o circuito automóvel das Festas do Mar 1969. A seu lado Corte Real Pereira e Silveira Machado, os dois pilotos que ficaram em 2º e 3º lugar.



As décadas de 50 e 60 foram sem dúvida as mais férteis no âmbito do automobilismo na cidade de Moçâmedes, o que se ficou de certo modo a dever-se ao progresso económico do distrito e ao facto de ter sido criado um sector desportivo dedicado a esta prática no âmbito do Rádio Clube de Moçâmedes. 





Aguardando os resultados do 1º Rallye do Caraculo.Entre outros,Gaspar Gonçalo Madeira, ao centro,

 O primeiro campeonato automóvel da cidade realizou-se no ano de 1955, disputado por 16 concorrentes distribuídos em três classes de automóveis de acordo com a respectiva cilindrada, tendo saido vencedor na classe A, Fernando Veloso de Oliveira, na classe B, Gaspar Gonçalo Madeira, na classe C, Artur Homem da Trindade. Participaram neste 1º campeonato, além destes, Mário Baptista de Sousa, Rui de Mendonça Torres, Rogério Baptista de Sousa, José Martins Cristão Jr., Fernando Pereira Cabeça, Máro António Trabulo, Dr. Mário Moreira de Almeida, Dr. Garcez Palha, Alberto Ferreira da Silva, Firmino José Parrança, Engº Romero Monteiro. 

Segundo Mário António Guedes da Silva, no seu livro «Memórias Desportivas do Distrito de Moçâmedes/Angola» este foi um primeiro passo, seguindo-se outras competições, nomedamente «puzzles», «rallys», em especial, integradas nas Festas da Cidade. O 1º Rallye ocorreu em 1958, o «Rallye do Caraculo» e teve como director de prova, o moçamedense José Martins Cristão.

No circuito das «Festas do Mar» em Março de 1969, já participaram os melhores volantes de Angola, e como referido acima, saiu vencedor o representante de Moçâmedes, Henrique Aharens de Novais, que foi imediatamente seguido de Corte Real e de Silveira Machado (foto acima).


Aharens de Novais passou a ser o alto representante de Moçâmedes nos rallyes angolanos, tendo honrado com os seus triunfos o nome da cidade e o seu próprio nome, que ficará para sempre ligado a esta modalidade desportiva.
  A seu respeito, assim escreveu Luis Bacharel in Mazungue

«O campioníssimo Novais era uma "bandeira" do automobilismo Moçâmedense. Desde o inicio com um Volkswagen, passando por um Volvo 544 (emprestado), Porsche 356, Lotus Elan e finalmente no lindo Porsche 904 GTS, fazia as delicias dos Cabeças de Peixe. Lembro-me dele ainda no inicio em provas efectuadas na avenida junto aos correios, com partida dada um a um com determinado tempo de diferença para que no final se podesse achar o vencedor. Mais tarde já com o Porsche 356 num circuito que passava pelo parque infantil e onde vi pela primeira vez o Eng.Eurico Lopes de Almeida com um Cooper de cor amarela, o Zé Caputo também em Cooper e o "boca de Sapo" de Amilcar Machado, penso que era de Sá da Bandeira, e julgo que também nesta prova o Volvo 122 de José Luis da Ressurreição. Isto para se ver que no inicio qualquer carro servia para fazer as delicias de quem assistia e de quem participava. Depois com o Lotus Elan começaram as provas onde as máquinas se começavam a equiparar. Lembro-me da decepção que foi facto do Lotus Elan de Ferreira Pires ter ficado completamente destruido por um incendio numa prova que prometia uma luta cerrada entre os dois. Finalmente o Porsche 904 com o qual começou a espalhar o seu "perfume" por toda a Angola começando aí a ganhar o respeito e admiração não só de quem assistia, mas também dos seus próprios adversários. É para mim inesquecivel, numa prova onde apareceram o Nicha e o Carlos Santos em Luanda, a foto do Novais sentado junto á trazeira do 904 com a cabeça entre os joelhos e a ser confortado pelo seu amigo e mecanico se sempre, Abel. Muito mais havia para se dizer deste pioneiro do automobilismo angolano que chegou a ser apelidado de "dragão da regularidade" não só por fazer volta a volta com tempos muito aproximados, mas também por fazer as passagens de caixa precisamente nos mesmos sitios.

Com esta minha homenagem a esse grande senhor do nosso automobilismo venho dar o meu contributo para semana "Ahrens de Novais".»



...«Quando vivi em Moçâmedes não perdia uma corrida. Eu e o meu pai ficávamos na Fortaleza e viamos ao longe a recta da meta (a avenida marginal). Depois os carros viravam à esquerda, subiam uma grande rampa, muito inclinada, novamente à esquerda, passavam em frente à Igreja de Sto Adrião, o "S" do tribunal, sempre a descer ... curva à esquerda, capitânia,.... e novamente recta da meta. Adorava ver aquelas corridas. Velhos tempos dos Coopers, NSU TT, Ford Capri, Lotus, etc, etc. A grande disputa era entre o Novais (um moçâmedense de "gema") e um "forasteiro" chamado Herculano Areias. O Novais tinha um Lotus Elan S3 e o Herculano Areias um Lotus .. , um louts ..., bem era diferente, mais potente, mas o Novais algumas vezes ganhou ao Herculano Areias. O ppl de Moçâmedes torcia pelo "nosso" Novais. Era o nosso fã. E nas corridas que faziamos com carrinhos "Dicky Toys" lá tinha que haver um Novais. O problema era que todos queriam ser o Novais. Escusado será dizer que havia uns amassos, mas chegava-se a acordo, que um seria o Novais e os restantes, os outros. ....» 
CarlosPGomes, in Sanzalangola

Ahrens Novais foi indubitavelmente o melhor piloto angolano quer na modalidade de rallyes, quer nos circuitos automóveis, e a sua imagem traz à recordação todas as alegrias que este desporto de elite deu aos moçamedenses ao volante de um carro raro e lindíssimo: o Porsche Carrera Gt Henrique Ahrens Novais, como se vê, teve uma predilecção pela máquinas saídas do génio dos Ferdinand Porsche. Também correu com um 356.

Na «SEMANA AHRENS NOVAIS» do site Mazungue, Camões Araújo refere:

«Nome inesquecivel no automobilismo angolano. Na fase de puro amadorismo foi realmente o maior e melhor corredor angolano.Refiro-me aos anos de 60/70 ,portanto antes do aparecimento das equipes patrocinadas pela BMW e Alfa..
Começou num simples VW que deixava todos os outros carros a KM de distancia..Foi o 1º carro que vi meterem umas pastilhas nos cubos das rodas de traz só para alargar o rodado ,o que lhe dava uma estabilidade incrivel para a altura.Assim com tambem foi o 1º a aparecer com as bocas do escape mais largas.Nada disso hoje é relevante mas para a epoca era revolucionario.Correu em varios carros:o VW,um LOTUS ELAN,um MGA que era lindissimo,um PORCHE antiquissimo que ja nem me lembro do modelo e depois em varios PORCHES por fim no belo PORCHE 904 GTS.Esta marca era a paixão dele.Aliás foi num belissimo 911 que teve o enorme desastre eque pôs fim a sua carreira.Morreu em Setubal em Fevereiro de 1996.»


Novais acabaria por ser vitimado por um desastre automóvel quando se encontrava em passeio na região da Huíla, tendo a partir daí se afastado denitivamente das lides automobilísticas nas vésperas da descolonização de Angola. Morreu em Setubal em Fevereiro de 1996.

Uma menção também para a participação de António Costa e Silva (Moinhos).

Ainda sobre provas automobilísticas em Moçâmedes


Foto: Novais e Jaime Lúcio dos Santos, um dos pioneiros na modalidade, preparando-se para a volta da consagração.




Ahrens Novais no seu Lotus Elan fazendo a curva para a marginal num dos circuitos das Festas do Mar em Moçâmedes. Foto retirada de Mazungue.
 
Ahrens Novais com o malogrado Dr. Castro Pereira.





LUANDA Maio de 1968: IX Circuito da Fortaleza



Muito público assistiu a esta edição do Circuito da Fortaleza que viu 23 carros à partida de uma única manga onde se misturaram carros de Turismo e de Sport. O favorito ao triunfo era o Porsche 904 GTS de Ahrens de Novais, na época o melhor carro que corria na antiga Província Ultramarina de Angola. Durante algum tempo acalentou-se a esperança de que chegasse a tempo o Lotus 47 que Fausto de Figueiredo tinha adquirido no Continente a Mané Nogueira Pinto, mas gorada essa expectativa, o interesse da corrida passou a centrar-se na disputa do segundo lugar da geral, visto o primeiro estar por suposta antecipação entregue ao piloto do 904 GTS.


E de facto assim sucedeu, pois Ahrens de Novais arrancou à frente e não mais deixaria o comando até ao final das 100 voltas ao circuito de 1832 metros. A seguir ao Porsche ficaram os dois Lancia Fulvia preparados na fábrica, de Silveira Machado e de Corte Real Pereira que acabaram por se impor aos Lotus Elan (que viriam a desistir por problemas mecânicos) e aos Alfa Romeo GTA.



Partida: Ahrens de Novais impôs a maior potência do Porsche e afastou-se rapidamente do enquadramento da foto. Na imagem podemos ver o Lotus Elan S2 de Francisco Barbosa, tendo atrás de si o Ford Cortina Lotus de António Lacerda. Mais à esquerda, na primeira linha da grelha (cada linha tinha 4 carros) vemos o BMW 1600 de Victor Rodrigues, o Alfa Romeo GTA de Fernando Pinhão (vindo da segunda linha da grelha), o Lancia Fulvia 1.3 HSR de Silveira Machado (um carro preparado na fábrica) e, mais atrás, o BMC Cooper S de Carlos Conde e o Abarth 1000 Corsa de José Teixeira.



O Porsche 904 GTS de Ahrens de Novais, vencedor do Circuito da Fortaleza de 1968
_______________________________________________________

Texto: RG a partir da reportagem do Jornal Motor, da colecção de Fernando Pereira
sportscar_portugal@hotmail.com




 
HISTORIAS DO AUTOMOBILISMO ANGOLANO:Aqui vai uma historia de 1959,imaginem os anos passados!!!!

JORNAL DE ANGOLA,Dez.59.TITULO:
1º RALLYE AUTOMOVEL DE BENGUELA,reuniu o maior numero de "volantes" de quantos se realizaram já em ANGOLA e foi presenciado por milhares de benguelenses,constituindo o maior e mais emocionante acontecimento desportivo que a cidade viveu já!.(Um aparte para dizer que este rallye coincidiu com a inauguração do HOTEL MOMBAKA,onde ficarm hospedados todos os concorrentes de fora de Benguela)Inscreveram-se 61 concorrentes e a classificação final foi.

1º AHRENS de NOVAIS (Moçamedes)-WOLKSWAGEN
2º M.M.FRAGOSO (Sa da Bandeira) -VOLVO Marreco
3º OLIMPIO RESENDE (Sa da Bandeira)-FORD
4º ALTINO FRAGA (Lobito) -WOLKSWAGEN
5º CAMÕES ARAUJO (Sá da Bandeira)-FORD V8
6º SERGIO GARCÊS (Benguela) -MG
7º EURICO L.ALMEIDA ( Benguela)-WOLKSWAGEN
8º SANCHO SANTOS (Benguela)-SAAB
9º JOSE L:ALEXANDRE (Benguela)-OLDSMOBILE
10ºJOSE PEDRO BAULETH (Moçamedes)-FIAT 1200.

Apenas mais uma historia para a HISTORIA DO AUTOMOBILISMO ANGOLANO » In Sanzalangola posted by Camões Araujo


 



 Página do Jornal «Motor no Ultramar» fazendo alusão a Henrique Ahrens Novais, o vencedor do IX Circuito da Fortaleza de Luanda1ª foto: 6 Horas do Huambo-1972.


 

 


 




Circuito de Moçâmede 1973 e VIII Circuito das Festas do Mar 1974. Fotos retirada de www.sanzalangola.com

http://www.youtube.com/watch?v=wp7dlZvyQ6A&feature=related

1 comentário:

Anónimo disse...

Sou angolano, apaixonados por corridas desde garoto. Moro em Recife, Brasil, e pesquisando sobre Corte Real Pereira vim bater aqui.

Já "roubei" a foto do pódium com Ahrens, Corte Real e Silveira Machado, e publiquei no site abaixo.

Estamos sempre conversando de automóveis de Angola em www.mazungue.com

Por favor apareça.

Um forte abraço

Ruy Turza

Enviar um comentário