30 maio 2007

Riquita, Miss Angola e Miss Portugal, nas Festas da Senhora do Monte e no Tchivinguiro, Lubango 1971

Riquita (Celmira Bauleth), Miss Angola e Miss Portugal 1971, ladeada pelos radialistas Alexandre Caratão (RCHuila), José Manuel Frota, (RCMoçâmedes), Carlos Meleiro, (RComercial de Angola) e Pereira Monteiro ( RCHuila), no decurso de um espectáculo integrado nas Festas da Senhora do Monte (Lubango/Sá da Bandeira). Este espectáculo contou com a participação da cantora Tonicha, cujo nome podemos lêr ao fundo.
Créditos de imagem:http://www.geocities.com/dpmonteiro/radioangolafotos.htm





1ª foto:
Riquita (Celmira Bauleth), Miss Angola e Miss Portugal 1971, ladeada pelos radialistas Alexandre Caratão (RCHuila), José Manuel Frota, (RCMoçâmedes), Carlos Meleiro, (RComercial de Angola) e Pereira Monteiro ( RCHuila), no decurso de um espectáculo integrado nas Festas da Senhora do Monte (Lubango/Sá da Bandeira). Este espectáculo contou com a participação da cantora Tonicha, cujo nome podemos lêr ao fundo.
Créditos de imagem:http://www.geocities.com/dpmonteiro/radioangolafotos.htm


2ª e 3ª fotos: Riquita cofraternizando com alunos da Escola de Regentes Agrícolas do Tchivinguiro (Huila

Sobre uma das fotos desta postagem, talvez a 3ª,  recebi a seguinte mensagem de Mário Fraga: "É o Foca, o Lambão, o Garção e outros velhos tempos!! Eu sou Mário Fraga."

17 comentários:

Paulo disse...

Caro amigo,

Não consigo perceber no seu blog o nome do seu autor, desta forma tenho de lhe escrever desta forma, mais publica.
Estive a ver o seu blog e fiquei surpreendido com a quantidade de fotos que foram retiradas dos livros por mim publicados. Não teria qualquer problema nisso se o meu amigo me tivesse enviado uma mensagem a pedir autorização.
Acontece que em huma delas está identificada a origem (foto de Recordar Angola, Paulo Salvador, Quetzal editores). Não é o link para o meu site que as identifica quanto à origem.
Fico triste que assim seja porque não havia necessidade de tal.
Como deve imaginar, há fotos sobre as quais não tenho direitos para internet e que por isso pode levantar questões legais importantes, para mim e para si. Se vir no meu livro está lá escrito que as fotos não podem ser difundidas sem autorização.
Peço-lhe pois que identifique a sua origem em todas eleas , assim como os textos que as acompanham, caso sejam tb retirados dos meus livros.
A si não custa nada e não dá a impressão que se quer apoderar dos créditos de material que não é seu.
Espero a reposição destes principios de lealdade africana.

Paulo Salvador

MOÇÂMEDES SAUDADE disse...

Caro conterrâneo

Depois de ter lido atentamente o seu comentário, sinto que devo clarificar o seguinte:
1. O propósito deste blog é tão-só facultar recordações de Moçâmedes a todos os que lá nasceram ou lá tenham vivido, aos que de lá vieram ainda crianças e jovens e que vagamente se lembram daquela terra e, ainda, o de proporcionar essas imagens aos milhares de “moçamedenses” que, por força de circunstâncias históricas, tiveram que emigrar para todo o mundo;
2. Tentar, cada vez mais, recolher imagens de Moçâmedes, desde a mais recuada época, por forma a que seja conhecida e não esquecida a verdadeira epopeia dos portugueses naquelas terras do fim do mundo;
3. Tentar mostrar uma parte da realidade portuguesa em Africa a todos aqueles que, por a não conhecerem, criaram dela conceitos desfasados;
4. E levar este projecto àvante, mediante a criação de novos temas a ele inerentes, tais como o de uma genealogia das suas gentes.
É por tudo isto que este blog não é só meu. É meu, é seu, é de toda a gente. Não há aqui quaisquer resquícios de fobia egocêntrica. Daí não ser expressamente assumido. E mais: ele não tem rigorosamente qualquer finalidade lucrativa.
Dito isto, cumpre-me acrescentar que tenho comprado várias fotos nas festas dos moçamedenses, nas Caldas da Rainha, fotos expostas publicamente e vendidas por um putativo seu familiar, bem como igualmente tenho vindo a comprar os seus apreciados livros, nos quais, aliás, encontro publicadas várias fotos onde estão familiares meus e eu inclusivamente, sem que tenhamos sido contactados para o efeito.
É pois com esse espírito humildemente ecuménico que vou dispensando muitas horas do meu lazer para que gerações futuras possam eventualmente vir a ter conhecimento daquilo que foi a realidade de Moçâmedes e das suas Gentes.
Os meus cumprimentos.

Anónimo disse...

Quero aqui deixar expresso os meus agradecimentos ao autor deste blog, graças ao qual me tem sido possível, aqui na Austrália matar saudades da nossa Moçâmedes. Fui um dos muitos que deixou aquela terra em circunstâncias tão penosas que nem sequer tive oportunidade de levar os meus álbuns de fotografias. Até choro aos rever Moçâmedes, confesso, mas são lágrimas de contentamento.
Parabéns pelo seu Blog que suponho
esteja cada vez mais nos corações de todos nós que lá vivemos.
Raul Pereira

Anónimo disse...

Amiga moçamedense
Peço-lhe por favor, continue a proporcionar-nos o prazer deste blog que muito aprecio. Quanto ao resto, passe por cima. Força.

Anónimo disse...

Obrigado pelo seu espectacular site. Eu que tudo lá deixei, encontro neste site as recordações mais valiosas da minha vida.
Espero que continue a encontrar novidades para nos matar a saudade.
Rogério Gomes

Anónimo disse...

Obrigado por nos oferecer tão gratas recordações. Sou filho do Nunes da Cimar e vim de lá com apenas 10 anos. Já quase nada recordava de Moçâmedes, apenas as historias que ia ouvindo em casa dos meus pais. Agora com o seu site, parece que tudo se vai tornando realidade. Até me dá vontade de juntar umas economias e lá voltar.
Mais uma vez muito obrigado e quanto a alguns comentários infelizes, lembre-se de todos nós e tenha sempre presente que os cães ladram e a caravana passa.
António Sousa Nunes

Anónimo disse...

Caro amigo:
Não sou de Mocâmedes, mas nasci em Angola (Luanda). Vim de lá com 18 anos. Quando vejo as fotografias de Mocâmedes no seu BLOG, recordo com saudade(mas em saudosimos)a terra que me viu nascer. Não é fácil esquecer e só quem viveu em Angola é que entende todo o carinho por aquela terra. Parabéns pelo seu blog. Encontrei-o casualmnte numa pesquisa sobre a Riquita (miss Angola 1972), a propósito de um disco de vinil que saiu na altura com uma música sobre a seu nome. Até hoje, nunca consegui encontrar, nem o vinil, nem a música em mp3 por alguém que a possua. Um abraço angolano...
Manuel Jorge

Maria Afonso disse...

O Alexandre Caratão continua c/ a mm figura e óptimo... fez 79 anos no dia 27 de Julho p.p.

princesa-do-namibe disse...

A todos aqueles que deixaram aqui comentários, o meu OBRIGADO. Espero continuar a merecer a vossa visita.
Saudações

Anónimo disse...

Apenas queria acrescentar o seguinte:
Vi grande numero das fotos publicadas neste blog, incluindo dezenas delas cedidas por mim, a serem expostas e vendidas posteriormente -a bom preço- na Encontro de Mocamedenses nas Caldas da Rainha, em 4 de Agosto decada ano. E adivinhem quem se anda a aproveitar deste blog para fazer negocio? E ainda tem lata de deixar comentarios... Este foi a melhor coisa que apareceu para nos os mocamedenses e so por isso merece todo o nosso respeito e consideracao.

Raul

Just me disse...

Caro Manuel Jorge.
Sou uma das filhas do músico que cantou a música dedicada a Riquita (Walter Correia).
O meu pai faleceu há cerca de 25 anos, devido a doença.
Só agora descobri este blog e li o seu comentário. Possuo o vinil com a música que fala e terei todo o prazer em k tenha acesso a ele.
Poderá contactar-me através deste site e combinaremos uma forma de o conseguir ter.

MariaNJardim disse...

Olá "Just me"
Não consigo fazer chegar a mensagem ao Manuel Jorge. Contudo ficar-lhe-ia grata se me facultasse a possibilidade de aceder ao dito vinil. Talvez seja possivel colocar a musica neste blog...para que todos os moçamedenses tenham acesso.
Cumprimentos

Unknown disse...

Os nomes estão errados. É o Foca, o Lambão, o Garção e outros velhos tempos!! Eu sou Mário Fraga. Falando de Moçambedes, onde está o Pató?

Unknown disse...

Os nomes estão errados. É o Foca, o Lambão, o Garção e outros velhos tempos!! Eu sou Mário Fraga. Falando de Moçambedes, onde está o Pató?

franklim1947 disse...

Quero expressar aqui os meus agradecimentos por esta publicação e os meus parabéns.
São recordações de um passado que todos os que ali viveram, relembrarão com saudade.
Obrigado

Anónimo disse...

Passei por aqui e fiquei maravilhado. Um abraço e os meus parabéns. É preciso ter muita lata para esse fulano vir aqui deixar comentários quando é fácil de concluir que é deste blog que um tal "SALVADOR" anda a tirar o número crescente de fotos que em cada ano expõe para venda não autorizada, nos encontros nas Caldas da Rainha. Continue minha amiga e conterrânea, porque esses fulanos só vêem $$$$$$. Inveja e nada mais, não ligue! Cordeais saudações. José Miguel dos Santos Osório

Anónimo disse...

Obtigado por estas recordações. Estive ler os comentários e o 1º deles brada aos céus. É preciso ter lata para esse fulano cujo pai anda a negociar nos encontros das Caldas da Rainha vendendo fotos que diz terem sido trazidas de Angola por ele e no entanto muitas delas foram disponibilizadas por mim a este blog. Se tivesse um pouco de vergonha na cara pedia era desculpa. Continue por favor este belo trabalho, porque o que têm é dôr de cotovelo. Os meus cumprimentos. João Dias

Enviar um comentário