09 abril 2008

Gente de Porto Alexandre em Angola (actual Tombwa)



Fotos gentilmente cedidas pelos amigos Álvaro e Beta Faustino.
Segue um belo poema assinado por Adamário Lindo:

Alexandrenses da Tombua

com asas sempre fomos.
crescemos de vela em vela
ao sabor das ondas

e na maré o tempo
furámos brumas caducas
rasgámos dos céus negrumes,

vencemos garroas e calemas
bebemos águas insalubres
soubemos da chuva o improvável,

mas a vida brotou perene
das areias, nas águas, da porfia
no anzol em gancho.

por uma vez
com ribombos do trovão
nos aterraram

e aqui somos
fora do tempo e do espaço,

sabendo o que fomos
e ao que vamos.

admário costa lindo
in “Makamba” (inédito)

Sem comentários:

Enviar um comentário