19 março 2011

O Concurso de "Miss" Angola e "Miss" Portugal 1971, Riquita Bauleth, na Revista "Tempo"










Da Revista moçambicana "Tempo"
Para lêr, clicar aqui: LER PDF


ELEIÇÃO DE MISS ANGOLA 1971
    
 
LUANDA: a noite da mais bela. O correspondente de «TEMPO» em Angola, descreve assim a noite de coroação de Made Celmira:

Na noite da eleição muita gente em Angola deitou-se já dia claro. Cinco rádioclubes, transmitindo directamente, mantiveram dezenas de milhares de pessoas agarradas aos rádios e, no Lobito, espalhadas pelos jardins onde tinham sido colocados altifalantes. Toda a gente queria saber, em cima da hora, quem era a primeira «Miss»  Angola.
Quase sete horas demorou o espectáculo da eleição de «Miss» Angola. Mas ninguém se queixou, tal como ninguém se queixara dos duzentos escudos desembolsados pelo bilhete de ingresso.  A caça ao bilhete foi aliás um sintoma claro do interesse despertado pelo espectáculo. No dia anunciado para abertura da bilheteira - nove dias antes do Espectáculo houve quem se pusesse na bicha às seis da manhã! As onze abria o «guichet», ao meio dia encer rava, afixando «lotação esgotada». O nosso colega «Notícia» - que organizou a eleição -foi acusado de reter demasiados bilhetes. Esclarecido que não, passou tal responsabilidade para a empresa proprietária do cinema Aviz.  A verdade maior parece ser, no entanto, a de que havia mais de dez mil pessoas interessadas em assistir e apenas mil e trezentos lugares posíveis...»
 
CELMIRA BAULETH COMO A MAIS BELA DAS ANGOLANAS

«Miss» Angola 71 e as suas súbditas:
Maria Celmira. tem à direita Maria Clélia, a 2.ª classificada e, à esquerda, Ana Paula.  Em redor as outras finalistas: para o ano, talvez...
Uma jovem morena de 18 anos de idade, pele cor de mel suavizada pelo vento morno do deserto de Moçâmedes e admiradora de Jean Paul Sartre é «Miss» Angola 1971. Foi eleita há dias em Luanda e, quando após muitas horas de discussão o juri anunciou o seu nome - Maria Celmira Bauleth - ele nada mais fez do que sancionar uma escolha que o público angolano fizera já.  Com um metro e setenta de altura, olhos enormes numa face extremamente belae actualmente estudante, Maria Celmira disputará assim muito em breve em Lisboa-ao lado de «Miss» Moçambique e de «Miss» Metrópole- o, ceptro de «Miss» Portugal.

MISS ANGOLA VEM DO DESERTO

JÚRI E PÚBLICO UNÃNIMES NA ESCOLHA DE MARIA CELMIRA BAULETH COMO A MAIS BELA DAS ANGOLANAS

Miss Angola 71 e as suas súbditas: Maria Celmira. tem à direita Maria Clélia, a 2.ª classificada e, à esquerda, Ana Paula.  Em redor as outras finalistas: para o ano, talvez...

Uma jovem morena de 18 anos de idade, pele cor de mel suavizada pelo vento morno do deserto de Moçâmedes e admiradora de Jean Paul Sartre é «Miss» Angola 1971. Foi eleita há dias em Luanda e, quando após muitas horas de discussão o juri anunciou o seu nome - Maria Celmira Bauleth - ele nada mais fez do que sancionar uma escolha que o público angolano fizera já.  Com um metro e setenta de altura, olhos enormes numa face extremamente bela e actualmente estudante, Maria Celmira disputará assim muito em breve em Lisboa' -ao lado de «Miss» Moçambique e de «Miss» Metrópole- o, ceptro de «Miss

 Logo depois de ter recebido os signos da sua realeza como a mais bela angolana de 1971, Maria Celmira foi instada por Ivon Curi a fazer uma declaração pública. Visivelmente comovida mas mostrando na face cansada a emoção do momento que vivia, «Miss» Angola disse apenas: Quero agradecer ao público todo o apoio que me deu... »

Na verdade, logo que os nomes das dezanove finalistas foram conhecidos, Maria Celmira Bauleth passou imediatamente a ser a grande preferida dos angolanos.  O juri nada mais fez, portanto, do que ser o porta-voz da vontade popular.  Caso raro em certames do género... As candidatas eram dezanove, pertencentes a seis cidades. Dezanove sorrisos, que eram um mundo de sonhos e de esperanças, na noite tropical polvilhada de estrelas...

Organizado com exemplar entusiasmo pelo semanário «Notícia», uma publicação que disfruta de justa popularidade, o concurso para escolha de «Miss» Angola, vencidas as fases de apuramento distrital, teve, pois, condigno encerramento com a festa que apaixonou a opinião pública. As candidatas que desfilaram perante a assistência, entre actuações dos artistas brasileiros Clara Nunes e Ivon Curi e do conjunto angolano «Os Ngoleiros do' ritmo», foram as seguintes, por ordem de entrada: Paula dos Santos, estudante, de Luanda; Maria Natal, funcionária pública, de Luanda; Anete Ferraz, estudante, do Lobito; Maria Moço, empregada numa agência de viagens, de Luanda; Maria Isabel de Oliveira, estudante, de Nova Lisboa; Olga Morais, empregada comercial, de Luanda; Maria Célia, estudante, de Luanda; Maria do Rosário, estudante, de Nova Lisboa; Ema Paula, estudante, de Luanda; Fernanda Costa Dias, estudante de Nova Lisboa; Maria Celmira Bauleth, estudante, de Moçâmedes; Catarina de Oliveira, em pregada de escritório, de Luanda; Maria dos Anjos Alfredo, de Sá da Bandeira; Anabela Meneses, empregada bancária, de Luanda; Fernanda de Jesus Rodrigues, empregada de escritório, de Luanda; Ana Paula Ferreira, estudante, de Nova Lisboa; Maria ElfridaReis, funcionária púlica,de Luanda e Rosemary Pedroso da Silva, estudante, de Benguela.


Breve diálogo com “Miss” Angola 1971:



“SARTRE” E BIFES COM BATATAS FRITAS

P -Qual o seu escritor preferido?
M. Celmira-Para mim, Sartre é o maior.
P- Como se define a si própria?
M. C. -Sou extremamente descontraida, moderna, com um mínimo de vaidade
feminina, que eu acho essencial.
P.- Passatempos preferidos?
M. C. -Música, praia a cinema.
P, - Namora?
M. C.-Não.
P- Que sentiu ao ser eleita «Miss» Angola?
M. C.- É dificil exprimir, mas sei que fiquei extremamente satisfeita.
P.-Como encara a sua próxima participação no concurso para escolha de
«Miss» Portugal?
M. C. Irei a Lisboa com uma única certeza: a de que, quando se concorre
a uma coisa, seja ela qual for, se tem sempre esperança,
P –Que licenciatura quer seguir?
M. C. Engenharia Química é o curso que pretendo tirar.
P,-Qual o seu prato preferido?
M. C.-Bifes com batatas fritas,
P.- Sabe faz ovos fritos?
M. C. - Não, sim. Tenho pouca experiência, mas desde que haja livro de cozinha toda a gente sabe cozinhar.


Aproveito para colocar no final desta postagem algumas hiperligações que nos possibilitem o acesso a  um conjunto de fotos de "Miss" Brasil-EUA 1997, a bela, simpática e elegante ANA CAROLINA DA FONSECA. Adivinhem o porquê, neste blog, de  fotos de Miss Brasil-EUA?
  Nada mais nem menos porque ANA CAROLINA DA FONSECA, a "Miss" Brasil-EUA 1997 e MARIA CELMIRA BAULETH (Riquita), a "Miss" Angola e "Miss" Portugal 1971, são primas!  A primeira é filha e neta de moçamedenses, ainda que nascida no Brasil, a segunda, é natural de Moçâmedes, tal como o seu pai e avô. Ambas têm as suas "raízes"  em Moçâmedes, terra para onde partiram um dia, algures em finais dos anos 1880, os seus tetravós e trisavós, respectivamente, CATARINA E AGOSTINHO FERREIRA, que foram também os meus bisavós. Como poderiam eles alguma vez imaginar virem a ser bisavós e trisavós de tais beldades?
Clicar AQUI 
e
http://www.anacarolinadafonseca.com/ 
http://www.anacarolina.com