27 abril 2008

Gente de Porto Alexandre: Verão na praia...




























































Era assim a juventude alexandrense quando se divertia despreocupadamente na sua óptima praia de águas frescas e cristalinas, mesmo alí juntinho às casuarinas!
Não coloco aqui os seus nomes porque apenas reconheço dois ou três destes jovens de então, passados que foram todos estes anos. Não obstante, faço daqui um apelo para que, na eventualidade de algum visitante deste blog reconhecer alguém, que fizesse o favor de colocar os seus nomes nos comentários, o que muito agradeço.

.....

Poema ao Namibe
1 - Namibe, deserto onde nasci
Sol e maresia abundam por ali

Espectacular oásis onde brinquei
Sintam o lugar lindo que adorei

2 - Na Natureza dessas paragens
Vemos dunas e miragens

O chão ondulado no calor
Expira ar queimado do ardor

3 - Grãos amontoados de areia lisa
Moldados pelo vento e pela brisa

Infinita imagem de áridas ternuras
Inferno que amamos sem verduras

4 - No casario junto à praia
Onde cresci e sonhei
Muito que de mim saia
Dos pescadores herdei

5 - Tenro, nu nadei na enseada grande
De nome, era mas já não é Alexandre.
Tombua, nome novo. Esquisito!
Agora já soa, para mim, bonito.
À terra o homem quis e ligou
O que Deus há muito semeou

6 - Welwitschia é seu nome
Mirabilis seu sobrenome
Tombua foi nome primitivo
O da Europa é o conhecido

7 - No Namibe foi onde Ele quis
No deserto a planta é feliz
O botânico a beldade estudou
Ao mundo a raridade divulgou

8 - Terra e Planta, Planta e Terra
No Namibe, perfeita combinação
Abençoada Natureza encerra
Os meus sonhos e paixão

9 - Casuarina, taipando aquele Local
Pinheiro bravo, importante Vegetal
Serenou as areias do ventão
E todos viveram na povoação

10 - Ao Norte, na saliente pontinha
Onde o Diogo nos pôs na Historinha
Pela escuridão Cabo Negro baptizou
Logo com Padrão o sítio marcou

11 - Naturalmente defronte em homenagem
O Navegador teve a sua imagem
Donde peixe e mexilhão foi apanhado
No Museu está o padrão apresentado

autor: Abel Marques (divulgado por Cereza)


1 comentário:

Rui Moio disse...

Transcrevi o "Poema do Namibe" de Cereza para o meu blogue "Sentires Sentidos" http://www.sentirsentidos.blogspot.com.

Se acaso o autor deste magnífico blogue não aceitar esta transcrição agradeço que me diga.

Parabéns pelo seu meritório trabalho

Enviar um comentário