08 março 2009

Lurdes Pinto, miss Moçâmedes e Miss Angola 1972



 O concurso de Miss Angola 1971,  em que venceu Celmira Bauleth (Riquita), não foi antecedido de concurso de  miss Moçâmedes. Foi tudo á ultima da hora, por indicação pessoal. Contudo em 1972 houve  eleição de Miss Moçâmedes  no Cine-Moçâmedes, em que foi eleita Lurdes Pinto. Foram "Damas de Honor", Ana Paula Carvalho (Paula Turra) e Maria Lídia Ferreira. As três estiveram presentes no "Miss"  Angola 1972 realizado em Luanda, no qual  foi eleita mais uma vez uma representante de Moçâmedes,  desta vez, Maria de Maria de Lurdes Pinto.


Ao Concurso de Miss Moçâmedes foram candidatas, por ordem do desfile:

1. Maria Dulce Pontes, 2. Conceição Cruz, 3. Elsa Maria...4.  Maria Isabel Gomes, 5. Maria de Fátima...,6. Elsa maria Formosinho, 7. Lidia Rosa Couto, 8. Orquidea Nabais, 9. Maria Eugénia Sena, 10. Maria Lidia Ferreira, 11. Elizabete Sena, 12. Orieta Bagarrão, 13. Elizabete Loureiro, 14. Ana Paula Carvalho, 15. Aura Maria Novo 16. Maria de Lurdes Pinto,  17. Alcina Loureiro, 18. Elizabete R. da Cruz, 19. Guida Bento César



Assim, se em 1971, foi Riquita (Celmira Bauleth) a menina bonita que conquistou  com mérito os títulos de Miss Moçâmedes e de miss Angola, em 1972, a proeza repetiu-se com Lurdes Pinto, eleita que foi Miss Moçâmedes, Miss Angola e Miss Público. Dá para dizer:


Todos ficaram sabendo
que assim mesmo é que isto é, contra as garotas do Mar
é remar contra a maré...

 


Outra foto com candidatas de Moçâmedes a "Miss Angola" : São Raposo, ?, Marezita Moreira, Dada Fernandes, Ani de Freitas, Isabel, podemos ver, também, Lidia Ferreira e Maria de Lurdes Pinto, à dt.
 
 


 


Maria de Lurdes Pinto junto da pista do aeroporto de Moçâmedes, preparando-se para seguir para Luanda a fim de disputar o título de Miss Angola, ainda que pareça estar a desfilar em pleno deserto do Namibe... À dt., a carrinha do Rádio Clube de Moçâmedes e alguém a filmar que não se consegue vislumbrar de quem se trata. Paula Turra acabaria por ser eleita, nesse mesmo ano, no Japão, miss Jovem Internacional. Dá para continuar dizendo:

Que as moças iam vencer
era aqui por nós sabido,
                             pois o Namibe jamais                               
em beleza foi vencido 
Maria de Lurdes Pinto, "Miss Angola" 1972, tendo por "Damas de Honor"  Ana Paula Carvalho (Paula Turra), à esquerda, e Maria Lídia Ferreira, à direita.


 


Se em 1972 foi Riquita (Celmira Bauleth) a menina bonita que após ter conquistado o título de Miss Angola, tornou-se, sem contestação, em 1972,  Miss Portugal, nesse mesmo ano a proeza repetiu-se  em parte com a eleição de Maria de Lurdes Pinto, Miss Angola.

 
 Miss Angola 1972 desfila em Luanda

Miss Angola 1972 desfila em Luanda,  vestida de mucubal,  o grupo étnico mais representativo do Distrito de Moçâmedes
Assistindo ao espectáculo. Entre outros, em 1º plano, o pai de Miss Angola 1971, a moçamedense Celmira Bauleth (Riquita)

Entre espectadores
 

Maria de Lurdes Pinto, Miss Angola 1972, com as damas de honor, Lídia Ferreira e Paula Turra . Paula Turra viria a ser eleita no Japão, miss Jovem Internacional



 
À chegada a Moçâmedes
 

Nestas fotos podemos ver  Lidia Ferreira com Henrique Minas (em cima) e com o então locutor 
do Rádio Clube de Moçâmedes, José Manuel Frota (embaixo)




Em capa de revista com Riquita, Miss Portugal 1971



AS GAROTAS DO MAR

Todos ficaram sabendo
que assim mesmo é que isto é,
contra as garotas do Mar
é remar contra a maré...

Vencemos em toda a linha!
Foi vitória das mais lindas,
pois nós ganhamos a todas,
Preciosas, Caraslindas...

Contra o que muitos pensavam
nós vencemos o despique,
pois entre ondas de beleza
não podemos ir a pique.

Que as moças iam vencer
era aqui por nós sabido,
pois o Namibe jamais
em beleza foi vencido!

Ninguém nos pode tirar,
cá nesta terra angolana
no campeonato das lindas
a posição soberana.

Todos queriam com bairrismo,
do fundo do coração,
neste Concurso famoso,
a bela repetição.

Lurdes tu és segunda
(Riquita foi a primeira)
e as Miragens do Deserto
hão-de indicar a terceira.

Em loucura colectiva,
no momento final,
a alegria sem limites
dominou a Areal.

Muitos cortejos de carros!
Bancos, pretos... Da cama,
homens, mulher's, crianças,
vêm pr'a rua de pijama!

As Welwistchias ajudaram,
com mil palmas prazenteiras,
que deram com frenezi,
as mil palmas das palmeiras!

E o bom Mar que é nosso Amigo,
em vozes portentosas,
bradou logo o mundo inteiro:
-São nossas as mais formosas!

(Autor desconhecido)



Ficam para a posteridade mais estas doces recordações...



Créditos de imagem: estas fotos, na sua maior parte, são pertença de Lurdes Pinto

Sem comentários:

Enviar um comentário