27 novembro 2010

O PARQUE INFANTIL DE MOÇÂMEDES, CUJA "PATRONA" FOI ALINA MARQUES DE CAMPOS

Data desta foto: penso que seja anterior a 1965, ou seja, do início da década de 1960, pois ainda não existe na foto a vivenda onde fui morar nessa data. . O Liceu  também não existia, o Colégio ainda não tinha muro, e não existia o edificio em frente da Câmara onde estava a Lusolanda.



O PARQUE INFANTIL DE MOÇÂMEDES (NAMIBE)


Esta foto foi tirada no dia da cerimónia que deu o nome a este Parque Infantil de Moçâmedes,  penso que bastante tempo após o mesmo Parque ter sido aberto ao público, já bem dentro da década de 1960, talvez devido ao facto de a sua Patrona, a veneranda professora Alina Marques de Campos, ou mais propriamente, Alina Marques de Campos Rodrigues dos Santos, que aqui vemos, residir na altura em Luanda, e ser pessoa de idade avançada idade, e de não fácil deslocação.  Aliás, repare-se na foto(2ª)   as árvores já haviam cresciso bastante deste o momento da inauguração...

D. Alina caminha apoiada em Rodolfo Ascenso (à esq.) e em Rui Duarte de Mendonça Torres (à dt.), ambos à época vereadores da Câmara Municipal da cidade. Atrás, o então Presidente da Câmara de Moçâmedes e esposa.  À dt, Edith Serra Torres, esposa de Rui Torres. Um pouco atrás, Heitor Casinhas de Moura, Chefe de Secção da mesma Câmara Municipal. Ainda mais atrás, Rogério Coimbra. À esq., Beatriz Caleres Radich, esposa de Rául Radich Júnior, personalidade que foi presidente da mesma Câmara, então já falecido, e à qual a cidade muito ficou a dever.

A professora D. Alina  foi  escolhida para Patrona do Parque Infantil de Moçâmedes em sinal de gratidão da população pelas suas elevadas qualidades humanas, e pela sua acção como formadora que foi de sucessivas gerações de moçamedenses, a quem ensinou a lêr, escrever, contar, os sãos principios da moral cristã e, como não podia deixar de ser, a orar!

Quanto a D. Alina, seguem algimas fotos, onde se encontra presente. A foto que segue foi tirada na escadaria da Escola 49, na Rua Governador Calheiros, ao lado da Escola Portugal.


[Escola+49.jpg] 

Aqui podemos ver  D. Aline, à dt. ( a mais baixa das três). Encontram-se também a professoras D. Berta (a mais alta) e D.?. Neste dia, o Bispo D. Daniel Gomes Junqueira (*) tinha visitado a  Escola Nr. 49.  À esq. de entre outros professores e padres,  reconheço o prof. Freire, e o prof. Canedo. Estava-se em 1945.  (Clicar sobre a foto para aumentar). De baixo para cima e da esq. para a dt.: 1º fila: Teixeira, Túlio Parreira, Monteiro, Jorge, Beto de Sousa, ?, Orlando Figueira, ?, ?.  2ª fila: Serafim, Renato Veli, ?, ?, Manuel Cruz, ?,?,?,?,?. 3ª fila: Alexandrino (Dino), ?, Neco Mangericão, ?,?, Guilherme Jardim, Bispo D. Daniel, (*) da nova Diocese de Sá da Bandeira, José Manuel Frota ?, ??? e mais à dt. Sarmento 4ª fila: professor Canedo, Padre ?, professor Vieira, Padre?, Costa, Julia Jardim, ?.?.?, D. Aline (a 3ª das Sras de preto, a contar da dt.), as professoras Berta e ? 5ª fila: ????? Gomes. Data provável: 1941

(*) D. Daniel tinha sido nomeado bispo da Diocese de Nova Lisboa, criada nos termos do Acordo Missionário de 1940, em simultâneo com a Arquidiocese de Luanda e a Diocese de Silva Porto, para as quais foram nomeados D. Moisés Alves de Pinho para Arcebispo de Luanda, e D. Ildefonso dos Santos, para Bispo de Silva Porto.
Ainda no decurso da visita do Bispo D. Daniel Gomes Junqueira a Moçâmedes, esta  foto foi tirada junto à Casa Santa Filomena, onde a benemérita professora, D. Alina de Campos ministrava o catecismo


 

Mais uma foto  que nos mostra um grupo de alunas, mães, senhoras da JIC e da Liga Católica Feminina, catequistas, e irmãs do Colégio de Nossa Senhora de Fátima, posando para a posteridade junto  da "Casa de Santa Filomena", o pavilhão de madeira de estilo colonial onde D. Alina ensinava o catecismo. Esta casa, tal como o antigo Colégio, ficavam por detrás do antigo campo de futebol de terra batida,  ao fundo da Avenida da Praia do Bonfim,  próximo da Estação dos Caminhos de Ferro. (clicar sobre as fotos para ampliar). Data provável: 1950/51





D. Alina cumprimentando D. Berta Craveiro Lopes,  quando da visita do Presidente da República Portuguesa, Craveiro Lopes, a Moçâmedes, em 24.06.1954.

Passaram mais de 60 anos sobre estas fotos, e ainda hoje muitos daqueles que foram alunos e alunas de D. Alina, falam com carinho da velha professora, seguidora dos princípios humanistas do Cristianismo,  referindo-se tanto à sua competência como à sua bondade, valores que procurava incutir nos seus educandos.

D. Alina  era natural de Cabanas,Viseu, onde nasceu em 13 de Novembro de 1891, e concluiu o Curso do Magistério Primário na Escola Normal de Coimbra com a alta classificacao final de dezassete valores. No ano de 1918, ainda em Portugal, foi nomeada para o professorado do Ensino Primário em Moçâmedes,  tendo-se apresentado na "Escola Portugal", como era conhecida a escola primária Nº 55 de Fernando Leal, hoje denominada do "Pioneiro Zeca", a 2 de Abril desse mesmo ano e  começado a leccionar a 1 de Maio.
 
Sobre a piedosa Senhora que se desligou do serviço em 23 de Fevereiro de 1957, conta-se que não escapou à maldade e à intolerância de homens que não raro existiam no nosso burgo, e abundavam por toda a parte, a par, felizmente, de gente boa. Aconteceu que por volta de 1922, lhe foi instaurado um processo disciplinar, com base em declarações suas publicadas num jornal de Moçâmedes. Mas em 23 de Janeiro de 1923, o chefe da Repartição Superior da Instrução, José Falcão Ribeiro informava que o processo tinha demonstrado da parte de quem o ordenou e elaborou, autoritarismo e defeitos de organização, que implicavam a sua nulidade. E, ao mesmo tempo afirmava que esta professora era cumpridora do seu dever e desamparada de todo o auxílio. Talvez essa circunstância explique que, pouco depois, em Dezembro de 1926, D. Alina pensasse já seriamente na sua aposentação. (letras5ac). D. Alina, que enviuvara enquanto esteve a exercer funções do magistério em Moçâmedes,  se já era católica ainda mais se agarrou à Igreja e à religião, tendo, inclusivamente, sido a fundadora da famosa "Casa de Santa Filomena", onde ministrava a catequese, e onde muitos jovens, dos mais necessitados da terra, tinham aulas de todo o tipo, formando-os para a vida, como testemunham os que viveram naquela época.


Recorte do Jornal "O Namibe" gentilmente cedido por Roberto Trindade



D. Alina acabou os seus dias, em Luanda, em 5 de Julho de 1971, onde residia com o seu filho, o Engº Augusto Carlos Rodrigues dos Santos, então director da Junta Provincial de Electrificação, de Angola. Tinha quase oitenta anos de idade,  Moçâmedes foi o único local em que leccionou. 

Ainda sobre este Parque, seguem duas fotos que nos mostram o elefante Caitou, figura emblemática do Parque Infantil  enquanto bébé.

 


 
Numa das fotos, a tia Maria cuidando do Caitou quando era ainda um bébé, e na outra o  bébé Caitou com um rapaz africano.
 
Conta-se que o Caitou teve origem numa história triste. O Abilio Tito Gouveia era então o fiscal de caça no Deserto do Namibe, e teria sido chamado, um dia, para abater um elefante que fazia estragos na zona do distrito conhecida por Caitou, região da Vila Arriaga.  Foi um cena triste passada junto do rio, e assim se matou a mãe do Caitou o pequeno elefante que acabou na orfandade. Tito acabou por levar o pequenino Caitou para o quintal da sua casa em Moçâmedes, e mais tarde,  entregou-o à municipalidade para passar a habitar o Parque Infantil. Há noticia de que o elefante fémea tinha sido capturado por Afonso Duarte Correia. (2)
 [Xica+do+Parque+infantil+Mazungue.jpg]
 Outro residente deste Parque que qualquer criança da época conheceu e que hoje,  adulto,  recorda com saudade


[Aldeia+dos+Macacos.Parque+Infantil-Mazungue.jpg]
E ainda outro da familia macacoide

Gazelas e olongo

 [Parque+Zete.jpg]

Frequentavam este Parque, mamãs babadas com os seus bébés... como podemos ver aqui aqui a  Marizete Romão Veiga Baptista e a  Lourdes Tavares Guedes da Silva... Data provável: 1961


 

E também tios, tias acompanhando seus sobrinhos...  a Teresa Banha e o José Duarte (Zézinho).  Foto de Kadypress (net)

 

 Primos....o Telmo e Matinela Ascenso... (cedida por Telmo)

Os primos João Ilha, Graciete Ilha Bagarrão, Rosário Sena Ilha e Pedro Ilha  junto das gazelas e das zebras. Foto de Pedro Ilha (net). 1960 ?
[Imagem+9271.jpg]

...e os primos Marizete, Luís, Marilia e Ana Paula Jardim...1971
Frequentavam também jovens estudantes em trajecto para o Liceu Américo Tomás e para a Escola Comercial e Industrial Infante D. Henrique...
...que não se coibiam de andar de baloiço, quando o guarda não estava por perto... Na foto, Laurentino Jardim

 

Junto da cerca onde ficava o pequeno zoo com alguns animais  capturados no Deserto do Namibe, sendo visíveis duas belas zebras. Da esq. para a dt: António Manuel Passos Marques, Carlos Vilhena Piedade,Virgilio Paradanta Marques Couto, António Cebolo (de óculos) e  Luís Rosa Palmeira. Embaixo, José Neves Almeida. Foto de Neves Almeida



Foto cedida por Mélita Parreira da Cruz (na foto, à esquerda)

E porque estamos fazendo uma descrição deste Parque Infantil, resta referir que havia ali um rink de patinagem, que de vez em quando era palco de eventos vários, nas manhãs ou tardes de sábados e de domingos, ou em datas festivas como no decurso das "Festas do Mar» ou em comemorações  do aniversário da fundação de Moçâmedes, em 04 de Agosto de cada ano.  Trata-se de um "Concurso de Caninos"  nos anos 1960. À esq. segurando a trela do seu cão, a concorrente Mélita Parreira da Cruz. Entre a assistência já fora do rink reconhece-se, entre outros, Sónia Madeira (à esq.) e António Marques da Silva (António padeiro), industrial de panificação e proprietário de uma loja na Rua das Hortas.



De quando em quando  neste rink de patinagem realizavam-se  espectáculos proporcionados por "bandas" musicais que jovens iam formando nesses tempos em que estavam em moda os Beatles, os Pink Floyd, o Elvis Presley, etc. Ao fundo, o  edificio do Colégio de Nossa Senhora de Fátima.

Junto do Parque funcionava também, como atractivo, uma barraquinha onde vendiam  gelados e cachorros-quentes. Sabemos que hoje este Parque já não se chama «Parque D. Alina Marques de Campos», o que nos parece óbvio, não obstante o perfil humanista daquela que foi noutros tempos a sua Patrona. Temos notícia que este Parque se encontra presentemente muito bem cuidado, e que está sendo explorado por um privado, sendo as entradas pagas. Ficam mais estas recordações




MariaNJardim no Parque Infantil, em 1962




Pesquisa e texto de MariaNJardim
(1) 1.s Letras de Angola, Biografias de Mestres. In AngolaSaiago
(2) In Sanzalangola.

Créditos de imagem:
Para ver mais, clicar aqui:
Perspectivas do Parque Infantil de Moçâmedes





5 comentários:

Rui Moio disse...

Será possível saber-se em que ano é que se deu a caçada aos elefantes pelo Tito Gouveia de que resultou a captura da cria que a seguir ocupou o porque infantil de Moçamedes?
E, em que rio ou mulola é que se deu a caçada?

Antecipadamente grato

Anónimo disse...

Olá. Agradeço em primeiro lugar a sua visita. Lamento, porém, não saber responder à pergunta que me faz, mas deve ter sido em finais dos anos 1950
Cumprimentos

José Nóbrega Ascenso disse...

Excelente trabalho! Mas, uma correcção justifica-se: o Parque Infantil foi inaugurado não na década de 1950 mas sim uma década mais tarde, nos finais dos anos sessenta. Eu assisti presencialmente à inauguração e aos discursos do Intendente Amoreira Martins, Encarregado do Governo do Distrito e de meu tio Rodolfo Ascenso.

Anónimo disse...

Eu saí de Moçamedes em 1963 e o parque infantil já existia. Impossível portanto ser nos finais dos anos sessenta, como foi dito acima.

MariaNJardim disse...

Peço imensas desculpas mas a última foto aqui colocada é minha e eu era ainda solteira, casei em 1962 (Março). Foi tirada no Parque Infantil de Moçâmedes. junto ao recinto de patinagem. MariaNjardim

Enviar um comentário