14 agosto 2011

Moçâmedes, hoje Namibe: Meninas do meu tempo

 
Meninas da Escola Nr. 56 de Pinheiro Furtado em Moçâmedes, na Torre do Tombo, 1950/51. São elas, da esq. para a dt, atrás: Maria Luisa Almeida Bagarrão, Maria da Conceição Gois Teles (Lili), ?, Victória Rosa e?. Embaixo: Victória Franco, Maria do Rosário Almeida (Zázá) e Guida Franco.

Meninas da Escola Nr. 56 de Pinheiro Furtado em Moçâmedes, na Torre do Tombo, 1950/51.  
São eles, em cima e da esq para a dt: Maria do Rosário Almeida (Zázá), Zelda Ferreira da Silva (Neneca), Otília, Graciete Ilha Bagarrão, Guida Franco, Mª Elizabete Ilha Bagarrão (Bétinha), ? Seixal. Embaixo: 
Madalena Seixal, Augusta, Victória Franco, Georgete Aprígio, ?, Victória Rosa, Claudete e Otília.

Néné e Guida, as meninas africanas da foto eram filhas do Sr. Franco (enfermeiro do Sindicato da Pesca e  do Hospital de Moçâmedes) e de D. Júlia. Fomos durante décadas vizinhas e  na nossa infância brincámos juntas, passei muitas tardes em sua casa e deliciei-me com os doces de ginguba e com os suspiros feitos pela senhora propositadamente para o nosso lanche. Tive a alegria de revêr a Guida há dois anos atrás no Encontro dos moçamedenses em Caldas da Rainha. Vive em Luanda.
Menina junto das  antigas instalações da referida Escola n.56 de Pinheiro Furtado, numa altura em que esta  Escola já não se encontrava ao serviço da instrução pública, mas sim  ocupada por uma familia que alí morava


Outro grupo de estudantes que na Torre do Tombo frequentavam esta Escola que se manteve em acção até 1951. Em cima e da esq para a dt: ?, Fernando Matias, Maria do Carmo Domingues, ?, Eduarda Vicente. Embaixo: Carlos Ferreira (Miróides), Cocas Ferreira da Silva, Miga Calão e Dudu Ferreira da Silva.



A primitiva Escola Nº 56 de Pinheiro Furtado, ficava num edificio de madeira assente sobre pilares, em forma de palafita  ficava na Torre do Tombo e mais tarde, por volta do inicio da década de 1950 passou para edificio próprio, construido para o efeito em local próximo daquele onde mais tarde foi construida a Escola Comercial e Industrial Infante D. Henrique.O seu patrono,

Pinheiro Furtado — fez o reconhecimento das terras de Benguela até à Angra do Negro, que denominou "Baía de Moçâmedes"; descobriu, em 1875, as inscrições que se acham gravadas na rocha da parte sul da baía: Torre do Tombo.

Sem comentários:

Enviar um comentário