09 janeiro 2012

RECORDAÇÕES DO LICEU DIOGO CÃO, DO REINO DE MACONGE E DAS TROPELIAS DA NOSSA JUVENTUDE !


Por incluir mocamedenses, GENTE DO MEU TEMPO tomou a liberdade de colocar aqui esta foto e tópicos de texto retirado do site "Reino de Maconge". Para os consultar na íntegra  bastará CLICAR AQUI

RECORDAÇÕES DO LICEU DIOGO CÃO, DO REINO DE MACONGE E DAS  TROPELIAS DA NOSSA JUVENTUDE !

Histórias inesquecíveis do Internato dos Maristas
by Joaquim Seabra Marques Pires


".O Hugo das Mulas – Da fuga do Tchivinguiro montado numa
mula, às fugas do Internato dos Maristas, passando pela viagem de
borla no comboio para Moçâmedes…
 Dele existem recordações e episódios suficientes para serem contados durante 248 horas sem
se parar e sem repetição.
Nesse célebre acampamento da MP em Moçamedes , momentos antes da partida do comboio
apareceu o Hugo . Não se tinha inscrito mas estava estranhamente muito bem fardado e a
rigor, com as meias da ordem e tudo. O propósito e objectivo da sua missão - ir a Moçamedes
e não pagar bilhete.
O revisor por norma passava inspecção antes de Vila Arriaga e do Giraul. O seu dever
profissional era contar contra o bilhete colectivo todos os piolhos verdes que viajavam no
comboio....
CONTINUA...


.."....O meu sonho utópico era apanhar todos um a um, mas eles eram muitos, unidos e fortes eu
era miúdo magro e solitário.
Entre todos alguns eram os Nono Bauleth (Namibe), Trindade (Namibe), Traguedo mais velho
(Quipungo), Ascenso (Namibe) , Castro Alves mais velho (Namibe) Torrinha mais, velho
(Chibia) , Alvito do Rosário (Goa), Sacramento (Benguela) e o Picadas (Silva Porto) um
privilegiado que não ficava na camarata
Paradoxalmente no refeitório fiquei com os médios, na minha mesa o Matos (Americano) , o
Domingos (Namibe), O Júlio (Caluquembe), o António (Missão do Balombo) e excepcionalmente
o referido Picadas(Silva Porto), bem mais velho que nós, que chegara tardiamente ao internato
sem lugar em nenhuma outra mesa foi colocado na nossa .
CONTINUA...

"...Meu velho e bom amigo Castro Alves
Não sei se sabes ou te lembras que quando eu tinha 15 (Internato dos maristas, ao lado do
nosso liceu) escrevi uma declaração de amor que na minha timidez de criança guardei na
gaveta da minha mesa do estudo... talvez com receio de entregar...
Ou foste tu, ou foi o teu irmão mais velho ou o Ascenso quem descobriu a carta , leu e resolveu
entregar sem meu conhecimento.
O resultado foi inesperado...a mocinha à saída do liceu totalmente de surpresa disse-me com
um sorriso: aceito!!!...
Nem imaginava que a carta havia sido entregue...
A moça casou mais tarde com o meu primo Rui Seabra...
Foi uma atracção inocente e platónica, mas no fim nada se perdeu e tudo ficou na família....
CONTINUA...


"....Diz a lenda Macongina ter sido esse outro quarto guarda da PSP a quem o famigerado Cabéças
roubou o cassetete e a quem numa noite de colégio das madres depois duma tentativa lograda
de interpelar a malta agarrou e fez beber uns bons 5 litros de Palhete, dos quais parte ficaram
7
bem visíveis a encarnado escuro escorridamente pelo seu dólmen de caqui amarelo abaixo.
CONTINUA...


"...Depois da farra cansados mas felizes dirigimo-nos para a Pensão Angola. Eis que nos aparece o
famigerado Zé dos Calos a pedir guarida. De acordo com a nossa tradição e espírito de então,
guarida não se negaria nunca a um colega, nem mesmo a dez , mesmo se por acaso
aparecessem todos ao mesmo tempo .
O Zé dos Calos era do Namibe, famoso e carismático, um ex-Marista também, tinha talvez 2
metros ou mais, era magro, usava óculos grossos de aros negros e grandes, quando andava
parecia cambalear do alto das suas pernas longas, arqueadas e finas. Tudo quanto dizia era de
voz pausada e grave, com aspecto senhoril, intelectual e cariz político.
Juntamos as camas de metal, a minha e a do Hugo, para o Zé dos Calos dormir no meio. O Zé
dos Calos agora deitado tinha as longas pernas, com os seus longos grandes pés, sem os seus
famosos sapatos mas ainda com as suas famosas meias tudo caricatamente no ar, cerca de 60
cm fora dos pés de ferro da cama.
CONTINUA...

"...O Zé dos Calos foi para o estrangeiro, ouvi referências às suas actividades e discursos na rádio
estrangeira e soube que mais tarde voltara para Angola.
CONTINUA...


"...A Turma A – 3º Ano – 1958/59
CONTINUA...


"....Lista dos Cábulas de 1958/60 , 4. ano turma A - a turma das colegas mais
famosas de todos os tempos - esta lista é especialmente para ti.
CONTINUA...


"...Turma B – 3º ano – 1958/59
Esta era o 3 B a minha (nossa) turma em 1958/59 -
Reler estes nomes traz-me grandes recordações e tremendas saudades e, muitas lembranças
de momentos e de pessoas fantásticas e inesquecíveis, de verdadeiras amizades que
perduraram ate hoje e vão perdurar para sempre.
CONTINUA...


"...Relação completa de todo o corpo docente e de funcionários do
Liceu “Diogo Cão” no ano lectivo 1958/1959
CONTINUA...


"...Mais turmas do ano de 1958/59 - 4º B
CONTINUA...

"...O pobre do Caneco… aturar personagens como Sanona,
Castilho, Timóteo, manos Pimentel Teixeira, Sabrosa...
 O padre Orlando, tão bem recordado pelo mano Seabra, traz-me à memória o seu
equivalente fraseológico e comportamental, o inesquecível Caneco, cujo nome verdadeiro não
me ocorre. O Seabra já aqui contou o episódio do tubarão, ocorrido em Moçâmedes, no célebre
acampamento da Mocidade e eu nunca mais esquecerei as tribulações do Caneco com o 5º B,
turma a que tive a honra de pertencer. Basta referir alguns dos personagens que integraram tal
turma, para se avaliar a dimensão dos trabalhos do pobre professor. Sanona, Castilho, Timóteo,
manos Pimentel Teixeira, Sabrosa...
 CONTINUA...

" Breve relatarei uma dele (Não, não do Macaco... do professor) sobre pontos de exame (Com perguntas dirigidas à inteligência) e sobre o Hotel Metrópole onde tu viveste.
Historia essa passada numa turma em que fui colega dentre outros muitos do Traguedo,
Bacalhau, Luís Manuel, Avelino, Peixoto, Parente Ramos, Saraiva e Castro Alves mais novo, etc.
CONTINUA...


" O medo vocês sabem que não preciso justificar, mas a curiosidade e afabilidade devia-se a ter
eu ouvido muito do Mendonça dos meus Pais e tios todos Maconginos no Diogo Cão.
No lado direito da aula junto à parede (Longe dos "DKW" mas no lado do "SAAB"...), na carteira
da frente junto ao quadro preto sentava-se o Faria, depois o Seca e de seguida eu.
O Couceiro da Costa (João Cláudio) meu grande amigo já de berço e de gerações posteriores,
sentava-se ao meu lado esquerdo. (Ele vai sorrir ao lembrar-se disto)..
CONTINUA...


"...O 5. Ano Turma A 1958/59
CONTINUA... 
"... E para continuar a matar saudades e a lembrar velhos amigos o
6.Ano Turma B 1958/59


"...Histórias inesquecíveis do Internato dos Maristas. O arremesso
do pão no escuro, a expulsão e a vida solidária nas caves do Liceu…
O meu sonho utópico era apanhar todos um a um, mas eles eram muitos, unidos e fortes eu
era miúdo magro e solitário.
Entre todos alguns eram os Nono Bauleth (Namibe), Trindade (Namibe), Traguedo mais velho
(Quipungo), Ascenso (Namibe) , Castro Alves mais velho (Namibe) Torrinha mais, velho
(Chibia) , Alvito do Rosário (Goa), Sacramento (Benguela) e o Picadas (Silva Porto) um
privilegiado que não ficava na camarata Paradoxalmente no refeitório fiquei com os médios, na minha mesa o Matos (Americano) , o
Domingos (Namibe), O Júlio (Caluquembe), o António (Missão do Balombo) e excepcionalmente
o referido Picadas(Silva Porto), bem mais velho que nós, que chegara tardiamente ao internato
sem lugar em nenhuma outra mesa foi colocado na nossa .
O Picadas fazia muito "Charles Atlas",por isso, usava T Shirts de manga curta para mostrar os
bíceps. Cabelo à Cliff Richard, pente no bolso de trás, calças à Elvis, óculos escuros à Marino
Marini, em suma o mais pipi lá do sitio. Ele simbolizava o meu ressentimento inicial aos mais
velhos, adicionado por "Roncos e Bafos" recebidos do tipo "Estás aqui estás a levar no focinho".Etc.
O Júlio (DKW) alegre, brincalhão, era a maior vítima do Picadas que o ameaçava muito de
"Porrada".
Eu antagonizava-o em tudo quase em silêncio.
No ano escolar seguinte fiquei noutra mesa com o Fernando Sabrosa (Luanda), o Tita Pimentel
Teixeira, (Namibe), o Rato (Lobito) e o Godinho (Lobito), éramos um time bastante fixe e forte
CONTINUA...

"...PARA MATAR OU PARA FAZER AINDA MAIS SAUDADES
ABAIXO OS ALUNOS DO LNDC PRIMEIRO ANO 1958/59



PARA ACESSAR AO TEXTO INTEGRAL CLICAR AQUI

http://reinodemaconge.com.sapo.pt/historia.html

Ver também MENINOS DO NAMIBE

Sem comentários:

Enviar um comentário