01 fevereiro 2008

Gente de Moçâmedes: 1951



1ª foto: Nos jardins da Avenida da Praia do Bonfim, junto do edifício dos Correios e do Laboratório de Análises de Júlio de Mac-Mahon Victória Pereira, que se pode ver ao fundo, a «dona» deste blog, posa para a posteridade, já lá vão tantos anos...
Decada de 50.

2ª foto: Outra perspectiva da mesma Avenida da Praia do Bonfim, junto à subida da Fortaleza, onde podemos ver os caramanchões que sustentam as trepadeiras e que davam um bonito enquadramento ao conjunto. Década de 50.

3ª foto:
O aspecto luxuriante dos Jardins da Avenida da Praia do Bonfim na década de 50.

4ª foto:
Foto tirada junto a um tanque de água, nos belos jardins da Avenida da Praia do Bonfim. No prédio de esquina, ao fundo, à dt., onde se veêm duas janelas, ficava o Aero Clube de Moçâmedes. Este prédio foi mais tarde demolido para dar lugar a um edifício de vários andares propriedade de José Alves, onde passou a ficar, no rés-do-chão do mesmo, o Banco de Crédito Comercial.
Da esq. para a dt:

Em cima:
Malaguerra, ?, Graciana Matins Nunes, Dilia Martins Nunes e Irene Ilha.
Embaixo: Raquel Martins Nunes e Maria Etelvina Ferreira.


....

NAMIBE

Chamavam terras desertas
Ou terras do fim do mundo,
Tinham pessoas abertas,
Amizades boas, certas,
Que calavam cá bem fundo.

Ainda tenho saudades.
mas de lá, quem as não não tem,
Espaços de liberdade.
E de muitas amizades,
Traídas não sei por quem.

Por isso choro em tristeza,
Às vezes com emoção,
Por ver tamanha vileza.
Sem um resto de nobreza,
Existente na nação.

Terras nobres, boa gentes,
E por Deus abençoadas,
Não vais ficar indiferentes,
Vão olhar tudo de frente,
Apesar de mal tratadas.

E assim encontrarão
Quem acabe aquela guerra,
Vai nascer uma nação,
Já com alma e coração
Voltará a nossa terra.

João Gonçalves Costa
01.01.2002

Sem comentários:

Enviar um comentário